O cemitério marinho

“Ce toit tranquille où marchent les colombes
Entre les pins palpite, entre les tombes,
Midi le juste y compose de feux,
La mer, la mer, toujours recommencée... "

É assim que começa o famoso poema de Paul Valérie dedicado ao cemitério marinho. 
Caminhe nos seus corredores para aprender a história da cidade e ver tesouros de arquitetura: um túmulo em mármore de carrara, capelas das “lamentações”...  
O Cemitério Saint-Charles mudou de nome para Cemitério Marinho, em 7 de agosto de 1945, em honra do famoso poema de Paul Valéry.

 
Este mostra a diversidade do povo da cidade ao longo dos séculos e foi sendo aumentado com parcelas sucessivas.  Uma destas parcelas estava reservada para a comunidade protestante que teve um papel fundamental na expansão do porto nos séculos XVIII e XIX.

Também é conhecido por “cemitério dos ricos”, ao contrário do “cemitério dos pobres” situado à frente da lagoa de Thau (onde repousa Georges Brassens)
 
Horário de funcionamento:
De 1 de outubro a 30 de junho das 08h às 18h
De 1 de julho a 30 de setembro das 08h às 19h

Cemitério marítimo :